BIOSSÍNTESE

Biossíntese é uma Psicologia Pré e Perinatal, uma Psicoterapia Somática, Psicodinâmica e Transpessoal

“A Biossíntese, como uma terapia do futuro, trabalha com o princípio do desdobramento do potencial latente, no qual os recursos da pessoa são fortalecidos e os problemas tornam-se menores.
Há 30 anos a Biossíntese desenvolve um modelo de integração do corpo, mente e espírito.
Pesquisas científicas em Neurobiologia, em Psico-neuro-imunologia e em Medicina Energética agora apóiam essa integração de diferentes formas.
A cura (healing) em Biossíntese se torna uma ponte vital entre a essência e a existência, alma e soma, grounding interno e externo.”

David Boadella

Abordagem criada pelo psicoterapeuta inglês David Boadella nos últimos 50 anos a partir de raízes somáticas, psicodinâmicas e transpessoais, tendo como base a vegetoterapia de Wilhelm Reich. Após o rico encontro com Silvia Boadella, David aprofundou e desenvolveu o modelo básico da embriologia, culminando com a criação da mandala dos campos da vida que integra e expressa grande parte da sua teoria. Silvia trouxe importantes contribuições baseadas na sua experiencia com o Healing e a dança Butoh.

A palavra Biossíntese significa integração da vida e se refere a processos específicos de auto-formação que orientam o crescimento orgânico e o desenvolvimento pessoal e espiritual.

O conceito central da Biossíntese é a existência de três correntes energéticas fundamentais no corpo associadas às três camadas de células germinativas no embrião (ectoderma, mesoderma e endoderma), a partir das quais se formam os diferentes órgãos. Estas correntes energéticas se expressam:

  • como fluxos de movimento
  • como fluxos de percepções, pensamentos e imagens
  • como fluxos da vida emocional no centro do corpo, através do sistema vegetativo.

Em um estado saudável, todo este processo acontece de forma harmoniosa. Tensões e traumas vividos na vida intra-uterina e pós-uterina impedem a integração destas três correntes e seu livre fluxo, provocando a emergência do distúrbio.

Em Biossíntese, utilizamos como base esses princípios da embriologia funcional, integrando e coordenando padrões de respiração, tônus muscular e expressão emocional, conectando assim três áreas fundamentais das nossas vicissitudes humanas: nossa existência somática, nossa experiência psicológica e nossa essência fundamental.

Uma das partes básicas da mandala da Biossíntese são os movimentos, vistos como formas ondulantes da respiração para liberar intencionalidades latentes e estimular novas corporificações da psique, denominadas posturas da alma.

Dá ênfase às qualidades do cliente, assim como à função da ressonância, da presença orgânica e do encontro terapêutico. O princípio bioespiritual da Biossíntese enfatiza o aspecto da compaixão pelo outro, fundamentada num contato claro, transparência, sintonia e ressonância.

É uma terapia de processo que busca atualizar a expressão única do indivíduo e o espectro de vários caminhos de evolução, reconhecendo a multi-dimensionalidade do ser humano.

Eu e o Corpo

David Boadella

Quem vê?
Não é o olho,
que só me traz ondas de luz.
Sou eu quem se deleita nas cores.

Quem ouve?
Não é o ouvido,
que só me traz ondas de som. Sou eu quem nada com a música.

Quem é tocado?
Não é a pele,
que só me traz ondas de matéria. Sou eu que sinto as carícias.

Quem caminha?
Não são as pernas,
que vão onde lhes digo.
Sou eu quem escolhe o caminho.

Quem fala?
Não é a língua,
que não conhece nenhuma linguagem. Sou eu que falo para ti.

Quem pensa?
Não é o meu cérebro,
que só carrega os meus pensamentos. Sou eu quem pensa e se lembra
dos significados.

Quando a luz se apaga,
a minha sombra desaparece; quando a vida se apaga
o meu corpo desaparece.

Quem morre? Eu não.

Tradução do ingles para o português: Ines Murias

Uma das perguntas mais frequentes feitas em Biossintese

Uma das perguntas mais frequentes feitas em Biossíntese é “Que é Biossíntese?” A palavra significa “Integração da Vida”, mas o que significa isso? Como uma forma de psicoterapia, a Biossíntese procura ajudar e dar suporte às pessoas para que se tornem mais integradas e alcançar maior coerência e bem-estar em suas vidas. Até aqui, ela não é diferente da intenção de todas as psicoterapias. Não obstante, há uma reivindicação implícita de que a Biossíntese de certa forma tem uma abordagem mais completa e uma forma específica de realização. Ao dizer isto, imediatamente quero dar um alerta. Mais completo para mim não significa “melhor”, pois assim estaríamos correndo o risco de idealizar a Biossíntese, de colori-la narcisisticamente e com isto já teríamos nos afastado do caminho. Em vez disso, mais completo para mim significa que a Biossíntese nos impõe um imenso desafio, pois implica numa integração das diversas dimensões da vida, uma forma integral de psicoterapia que tem como meta lidar com a estrutura da vida. Portanto, inteireza implica em complexidade, e complexidade tem uma sombra, complicação, na qual nós podemos nos perder como num labirinto. De muitas maneiras somos menos especializados do que outras, em níveis particulares, embora mais abrangentes em nossas tentativas de compreender os amplos limites do fenômeno da vida. Minha visão é que essa compreensão abrangente não deve ofender a simplicidade da vida, ou a simplicidade em complexidade, mas nos faz ficar prevenidos contra abordagens excessivamente simplistas, dualísticas e limitadas da rica estrutura da vida.

David Boadella e o conceito de “grounding interno”

“Todo trabalho para proporcionar “firmeza” ao corpo através do trabalho postural nas situações de estresse, com liberação catártica de emoções bloqueadas, tem o seu valor. Mas dessa forma, trabalha-se a firmeza externa. Precisamos aprofundar e enriquecer esse processo, prestando atenção à maneira como a pessoa constrói o seu espaço ou organiza o seu tempo, que percepção ela tem de sua capacidade de se formar através de uma participação mais intensa em seu próprio processo.
Precisamos ajudá-la a encontrar a sua “firmeza” interior, a sua essência, a fonte de onde brota a energia curativa, que tem o poder de integrá-la novamente, não importa quanto ela esteja condicionada a não se sentir viva.”

David Boadella

Origem

Dr. David Boadella

Criador do método é B.A., M.Ed., Psicoterapeuta. Graduado em Educação, Literatura e Psicologia. Nascido na Inglaterra, em 1931. Estudou educação, literatura e psicologia nas Universidades de Londres e Nottingham. Foi diretor da Abbotsbury Primary School por vinte anos a partir de 1963. Formado em Vegetoterapia caractero-analitica, teve com psicoterapeuta Ola Raknes, discípulo direto de Wilhelm Reich. A partir de 1985 iniciou seus estudos com Robert Moore no “Psychosomatic Center” Dinamarca. No fim da década de 60, teve contato com três importantes linhas terapêuticas: a Psicologia Biodinâmica de Gerda Boyesen, a Bioenergética de Alexander Lowen, a Psicologia Formativa de Stanley Keleman. Seu trabalho focou, inicialmente, com crianças com distúrbios emocionais. Atualmente dedica-se a prática psicoterápica e ensino.

Autor de numerosos livros e artigos.  Criou o jornal “Energia e Caráter” que publica desde 1970. Em 1995 recebeu o título de Doutor honorário da “Open International University of Complementary Medicine”.

Best-sellers escritos por David Boadella – “Corrente da Vida” (Summus ed.) e “Nos Caminhos de Reich” (Summus ed.).

Livros

  • Boadella, D. – “Correntes da Vida – Uma introdução à Biossíntese” – Ed. Summus, 1992
  • Boadella, D. – “Nos caminhos de Reich” – Ed. Summus, 1985.
  • Boadella, D. – “Jesus, the Heretic” – Sloane and Partner, England.
  • Boadella, D. – “Between Coma and Convulsion” – Sloane and Partner, England.

Alem dos livros há uma coleção numerosa de artigos que complementam e aprofundam sua teoria, enriquecida também com a contribuição teórica e clínica dos Seniors Trainers.

Dra.Silvia Specht Boadella

Doutora em Filosofia. Psicoterapeuta SPV e EABP. Estudou Filosofia, Alemão, História da Arte e Psicologia. Recebeu formação em Biossíntese. Fez formação avançada com Robert Moore (Dinamarca) no “Psychosomatic Centering”. Durante quatro anos ensinou na Universidade de Kanazawa (Japão), onde estudou intensivamente Zen Budismo e fez formação na Dança Buto com Kazuo Ohno. Desde 1985 desenvolve práticas psicoterápicas a nível individual e grupal. Desde 1986 ensina Biossíntese a nível internacional e dirige juntamente com David Boadella, o Instituto Internacional de Biossíntese.

Livros publicados

  •  “Memória como mudança”.
  • Die Tragende Haut” Ed. arbor

RECONHECIMENTO

A Biossíntese é reconhecida pelo European Wide Committee da European Association of Psychotherapy (EAP) como uma modalidade científica de psicoterapia.

O significado deste reconhecimento é de grande importância. Isto significa que o método da Biossíntese é aprovado por todas as associações profissionais de psicoterapia pertencentes à EAP em 36 países e também em todas as Organizações Européias pertencentes à EAP.

“No dia 24 de Outubro de 1998, no Club Fondation Universitaire, em Bruxelas, baseado na Declaração de Strasbourg em Psicoterapia (1990), e conforme os objetivos da Organização Mundial de Saúde e com o apoio e incentivo da União Europeia em sua política de demandar altos padrões e qualidades profissionais na prática da Psicoterapia, a Biossíntese, juntamente com seis outras direções em Psicoterapia, foi aceita unanimemente como uma modalidade de treinamento cientificamente válida pelo European Wide Committee da Associação Européia de Psicoterapia (European Association of Psychotherapy) por 27 votos em 34 no European Training Standards Committee e por 31 votos em 34 no Executive Board of the Association.”

Este credenciamento é a culminação de um processo de dois anos de intensivas consultas em Viena, Roma, Amsterdam, Londres, Paris e Bruxelas, baseado na apresentação de dossiês com evidências substanciais em 15 critérios de validação científica criados pelo Scientific Validation Working Party of the European Association e estabelecidos antes do primeiro congresso do World Council for Psychotherapy, Viena, Julho de 1996.